IPV7 aponta os principais desafios para integração pós M&A entre Vero e Americanet

A IPV7, especialista em auditoria, due diligence, Assessment e Pós- M&A no mercado de TI e Telecomunicações, aponta os principais desafios para a integração bem-sucedida entre a Vero e Americanet, que acabam de concluir a fusão de suas operações. No anúncio do closing, em 1/12, as empresas destacaram o avanço desse processo, começando pela integração dos portfólios.

Com mais de 30 bilhões em ativos avaliados, a IPV7 já auditou e realizou laudos periciais de avaliação de ativos em inúmeros ISPs e teve um papel fundamental na fusão das duas gigantes do mercado, realizando a auditoria técnica e operacional da Americanet a pedido da Vero.

Droander Martins, CEO da IPV7 Group, ressalta a importância da experiência anterior com a Vero, que também já passou pelo processo de auditoria pela IPV7. Para ele, esse conhecimento foi fundamental em relação às expectativas técnicas e operacionais na diligência da Americanet para a fusão. “Apesar do tamanho das operações, entendemos que a integração será um processo trabalhoso, porém 100% possível devido ao alto nível de gestão, governança e compliance de ambas. Posso afirmar isso com certeza, pois temos mais de uma centena de ISPs auditados e sem dúvida tanto a Vero quanto Americanet nos surpreenderam positivamente pelos seus diferenciais e inúmeras sinergias”, afirma Martins.

Fabiano Ferreira, CEO da Vero e Americanet, enfatiza o valor desse knowhow: “A parceria com a IPV7 no processo de due diligence foi muito importante para identificar oportunidades, mapear sinergias e mitigar riscos, aspectos fundamentais para o êxito da negociação. Agora, avançamos no processo de integração, aplicando a experiência da Vero e da Americanet, que acumulam 46 aquisições com integrações bem-sucedidas em suas trajetórias”, conta.

O processo de integração entre a Vero e a Americanet teve início em agosto, com o planejamento concluído em novembro. A partir da conclusão da operação, o time se prepara para executar o plano. A primeira etapa é concluída em 100 dias e envolve a integração de procedimentos iniciais e que geram benefícios no curto prazo, como a aculturação e reorganização das equipes. Já a segunda etapa, que será implementada ao longo de 2024, tem como objetivo aspectos de maior impacto, como a unificação de sistemas e a simplificação societária, com a incorporação da Americanet e todas as suas subsidiárias.

Os Principais Desafios Pós-M&A com Viés Técnico Operacional

Segundo estatísticas do Harvard Business Review, 70% a 90% das fusões falham durante a fase de integração pós-M&A, sendo está uma fase determinante para o sucesso das fusões e aquisições ou para o fracasso do negócio. Abaixo, seguem os pontos mais relevantes citados pela IPV7 para o mercado de telecomunicações:

Infraestrutura e Eficiência Operacional: a grande necessidade das fusões entre ISPs é atualizar e adaptar as infraestruturas das empresas envolvidas com a maior eficiência operacional possível. É essencial estabelecer políticas uniformes e melhorar a gestão. O controle e o monitoramento precisam ser reforçados, e torna-se importante ter indicadores claros para garantir que tudo funcione bem e esteja alinhado com os objetivos da nova empresa.

Tecnologia: um dos desafios mais complicados da integração é lidar com a variedade de tecnologias utilizadas pelas diferentes empresas. Essas tecnologias, que operam em várias camadas, muitas vezes não são compatíveis entre si, levando a limitações no atendimento e dificuldades na padronização e reduzindo os ganhos de sinergia.

Documentação e controle: gerenciar as informações e documentos em plataformas padronizadas é um ponto mandatório no pós-M&A, isso evita a perda de informações importantes e reduz a alta dependência de pessoas, além de tornar a operação escalável e facilitar o processo de integração.

Sobreposições e busca pelas sinergias: as empresas quando optam por uma fusão enfrentam “duplicações” de pessoas, processos, estruturas e tecnologias em praticamente todos os setores. Os ganhos de sinergia dependem de alinhamentos, unificações e padronizações sem causar interrupções operacionais ou comprometer a qualidade do serviço.

TI e Cibersegurança: em um processo de fusão, as empresas colocam em exposição sua operação e consequentemente suas vulnerabilidades, com isso aumentam significativamente a probabilidade de incidentes de segurança da informação, seja através de vazamento/acesso indevido de dados ou cyber ataques que podem surgir devido a integração das diferentes infraestruturas e tecnologias. Garantir a segurança dos dados em um ambiente de consolidação não é apenas um dos pilares para maior eficiência e equity, mas também para manter a confiança dos clientes e a perpetuação da nova entidade no mercado.

Para a Vero e a Americanet o sucesso vai muito além do tangível, envolve o alinhamento de culturas, visões e objetivos para construir um grande negócio. “Nesse processo de fusão, os principais propósitos da Vero e da Americanet não só permanecem os mesmos, mas ficam mais fortes. Continuaremos fazendo história no setor, sempre focados nos principais pilares da nossa cultura e dos nossos valores: a satisfação dos clientes, o aumento do engajamento dos colaboradores e crescimento do retorno para o acionista”, finaliza Ferreira.

 Sobre a Americanet e Vero

Após a fusão, a Americanet e a Vero passam a ser uma única empresa com aproximadamente 1,5 milhão de clientes e 4,5 milhões de usuários impactados diariamente em 425 cidades do Brasil.

A Vero é uma empresa de telecomunicações brasileira criada em 2019, controlada pela Vinci Partners e com atuação em Minas Gerais, Goiás, Distrito Federal e todos os estados do Sul do país, levando a cultura de foco em qualidade no serviço ao cliente e na qualidade de atendimento ágil e descomplicado a mais de 850 mil assinantes em 204 cidades.

Fundada em 1996, a Americanet é uma das principais operadoras de telecomunicações do País, oferecendo serviços de voz fixa, móvel e conectividade para os mercados corporativo e residencial. A Americanet conta com infraestrutura e tecnologia de ponta, além de rede própria em fibra óptica com extensão de mais de 50 mil km, presença em 8 estados e Distrito Federal, e mais de 250 cidades, atendendo mais de 600 mil clientes.

Sobre a IPV7 Group

A IPV7 é um BSP (Business Solution Partner) com foco em serviços de engenharia, auditoria, consultoria, inteligência de mercado, laudos periciais, gestão avançada de redes multisserviços (NOC, SOC, CGR e Engenharia de Redes 24/7), cloud computing e cybersecurity certificada ISO 9001 e com atuação nos setores de provedores de internet, operadoras, mercado enterprise, governo e fundos de investimentos.

Na última semana, no dia 15 de Dezembro de 2023, a IPV7 lançou o “Predictions TIC 2024”, relatório de tendências escrito por 28 executivos, que aborda as principais tendências do setor de TI e Telecom para o próximo ano. Este documento é uma ferramenta valiosa para profissionais e empresas do setor, fornecendo insights e análises sobre as direções futuras do mercado. Se você quer ficar por dentro das últimas tendências e se preparar para o que está por vir, não perca essa oportunidade. Baixe agora, gratuitamente, através do link: https://predictions.ipv7.com.br

 

Publicado em: IPV7 aponta os principais desafios para integração pós M&A entre Vero e Americanet (telesintese.com.br)